III Festival Gemada Integradas de Artes

Image

Festival organizado pelo Coletivo Gema Genérica terá mais de 10 horas consecutivas com diversas atrações culturais

 

Grafite, exposições, debates, videoarte, shows, oficinas e feira de trocas livres. Todas essas atrações estarão dispostas na Praça da Estação Cultura em Barretos no dia 23 de novembro durante o III Festival Gemada de Artes Integradas. Organizado pelo Coletivo Gema Genérica, o projeto primou por reunir artistas locais, regionais e nacionais, promovendo o incentivo da produção cultural em Barretos e abrir. Trabalhando de forma horizontal e de código aberto, o festival é construído por um núcleo duro de organização em parceria com o próprio público, a ONG Aruanda Brasil, Secretaria Municipal e Cultura, ACIB, Pizzaria Vovó Landa, Colégio Objetivo de Barretos e outros agentes culturais.   

 

Dialogando com a data, este o ano o festival irá integrar também o Mês da Consciência Negra com o debate “Negro no Século XXI” contando com a participação de ativistas culturais da cena do Hip Hop (como Renato Magú de Bauru e Bob de Guarulhos), diretor da ONG Aruanda Brasil, Francisco Salviano Miranda (Tico), o ativista de Guarulhos Bob Controversista e outros convidados. O mês da consciência também está representado na música: o festival terá o show do grande rapper barretense Ramonstro (advindo diretamente da Semana do Hip Hop Bauru 2013) e Coruja BC1 – o rapper bauruense de apenas 19 anos que já emplacou diversos hit´s no youtube como “Liga os Colômbia” e “Não posso Murmurar”.

Image

 

Um palco grande em frente à Estação Cultura também será montado para receber diversas atrações locais, regionais e nacionais a partir das 18 horas. A banda veterana de hardcore barretense “Radiação X”, a nova e surpreendente banda de metal instrumental barretense “Grito”, o duo de stoner/rock de Uberlândia (SP) que tem rodado o país com seu novo EP, “Muñoz”, e a dupla instrumental eletrônica “Tigre Dente de Sabre” – com público cativo em Barretos, apresenta-se pela terceira vez em Barretos após duas performances de sucesso.

 

Durante o evento, também será realizado o lançamento do livro “Você vai saber por quê” do autor André Mansim e será dada seqüência a um debate sobre literatura.  Serão realizadas oficinas de permacultura (a arte de realizar plantações em casa e preservar sustentavelmente a natureza), uma oficina de xadrez, uma oficina de construção de instrumentos musicais e também uma oficina de atrações circenses. Ao redor da praça também haverá a Feira Grátis da Gratidão, as apresentações do grupo de pirofagia Angels of Fire, sebo, exposições de fotos, arte com grafite, arte plástica, exibição de vídeo arte e comes e bebes. Um palco independente também terá o show de três artistas: Jeca Consciente (projeto de reaggae e MPB ), Breno Della Costa (MPB/Rock) e Randyll Scott (violão instrumental).

Image

 

O festival integra desde 2011, o (CPFI) Circuito Paulista de Festivais Independentes : uma rede que conecta 19 Festivais do Estado de São Paulo. O objetivo é integrar projetos que dialogam com linguagens diversas e estimulam a ocupação de arte independente em espaços, sobretudo públicos, fortalecendo assim o cenário cultural como uma plataforma sólida que promove, fomenta e desenvolve a cultura paulista.

 

O III Festival Gemada de Artes Integradas, o Coletivo Gema Genérica irá ocorrer em um único dia: 23 de novembro. Esse modelo foi pensado para potencializar a visitas de pessoas de outras cidades da região e criar um dia repleto de atividades, shows e oficinas para crianças, adolescentes e adultos na Praça da Estação Cultura. Todas as atividades também contarão com uma transmissão e cobertura ao vivo.

 

O que é o Circuito Paulista de Festivais ?

 

O (CPFI) Circuito Paulista de Festivais Independentes é uma rede que conecta vários Festivais do estado de São Paulo. O objetivo é integrar projetos que dialogam com linguagens diversas e estimulam a ocupação de arte independente em espaços, sobretudo públicos, fortalecendo assim o cenário cultural como uma plataforma sólida que promove, fomenta edesenvolve a cultura paulista. Além disso, o Circuito Paulista busca criar condições sustentáveis para a construção de uma estrutura que viabilize uma plataforma efetiva de circulação de músicos, espetáculos cênicos, mostras audiovisuais, jornalistas e produtores, integrando-os.

 

A formatação em rede e o estímulo ao trânsito entre os agentes promove a interligação entre os festivais, cada qual com suas especificidades: uns com foco exclusivo na música, outros na integração das artes e alguns propondo densas programações voltadas à formação livre, resultando por fim numa grande diversidade de ações em várias regiões do estado.

 

Dessa forma, o CPFI torna-se catalisador das atividades geradas para proporcionar a consolidação desses festivais em rede, incitando a troca solidária de informações, serviços e tecnologias, o intercâmbio de agentes e uma comunicação integrada, buscando potencializar assim o crescimento do projeto.

 

O calendário do CPFI ocupa o segundo semestre, em praticamente todas as regiões do estado, começando por Serrana, no mês de julho. A partir daí, percorre Itu, Araraquara, Bauru, Taquaritinga, Campinas, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São Carlos, Bragança Paulista, Barretos,Sorocaba, Guarulhos, São Caetano, Suzano, São Paulo, ABC Paulista, São Paulo, Santos e Piracicaba.

 

São festivais de diferentes formatos, tamanhos e estilos, produzidos em grande parte pelos coletivos e pontos do Fora do Eixo, que atingem juntos mais de 100 mil pessoas, com circulação de cerca de 200 pessoas, reunindo mais de 300 atividades, numa movimentação de quase um milhão de reais.

 

O que é o Fora do Eixo?

 

O Circuito Fora do Eixo é uma rede de coletivos articuladores, gestores e produtores de uma série de tecnologias e plataformas sócio culturais no Brasil. Iniciando com o foco na Música, a rede agregou mais de 70 Festivais independentes associados na Abrafin, 100 Casas de shows e espetáculos associadas e parceiras da Casas Associadas, 2.000 agentes e artistas ligados diretamente, 5.000 shows, 1.000.000 de público em apenas 05 anos.

 

Programação

 

OFICINAS

 

Ø     10 horas  – Pintura dos Alunos “Reelendo os Grandes Mestres” –  Luciano Junqueira

 

Ø     11 horas – Atrações Circences – Ademur Oliveira

 

Ø     15 horas – Oficina de Permacultura – Kim

 

Ø     16 horas – Oficina de Xadrez – Carol Leão

 

 

 

ARTES VISUAIS – 10 horas às 20 horas

 

Ø     Exposição de Fotos

 

Ø     Mural História de Barretos

 

Ø     Exposição de Quadros

 

 

 

CINEMA e AUDIOVISUAL – 19 Horas

 

Ø     Projeções Audiovisual com Luiz Augusto

 

 

 

ALIMENTAÇÃO

 

12 horas – Almoço na Praça

 

10 às 2 horas – Comes e Bebes na Praça

 

 

 

DEBATES ABERTOS
15:00 – Negro no Século XXI

 

Ø     Tico Aruanda

 

Ø     Bob

 

Ø     Renato Magú

 

 

 

17:00 – Lançamento do Livro “Você vai Saber Porque”, lançamento dos HQS do Guilherme Silveira “Caminho di Rato” e Mistehorror” e debate sobre literatura contemporânea

 

 

 

SHOWS PALQUINHO CORETO ACÚSTICO

 

16:00  Jeca Consciente (Reggae/MPB)

 

16:45  Breno Dalla Costa (MPB/ Pop Rock)

 

17:30  Randyll Scott (Instrumental Violão)

 

 

 

Shows Palco Grande

 

18:00 – Ramonstro (Rap)

 

19:00 –  O Grito (Metal)

 

20:00 – Munhoz (Stoner/Blues)

 

21:00 – Radiação X (Hardcore)

 

22:00 – Coruja BC1 (Rap)

 

23:00 – Tigre Dente de Sabre (Instrumental Eletrônico)

 

Atrações permanentes

 

  • Venda de livros
  • Varal de Poesias
  • Pirofagia com Angels of Fire
  • Grafite com Zion Jorge
  • Distro Metal
  • Feira Grátis da Gratidão

 

Anúncios

De norte a sul

Image

Conheça Elemental e FlexB: os dois artistas barretenses que mais circulam no Brasil

Embora a cidade seja conhecida pelo universo da música sertaneja, são dois artistas da música eletrônica que mais levam o nome da cidade do Brasil afora: Elemental (Luiz Luz) e FlexB (Ronaldo Galdino). O fato não é mera coincidência, mas fruto de dois artistas que levam sua arte a sério e empenham-se em um trabalho árduo e sério. Muito além da função de DJ, denominação que é confundida comumente fora do universo na música eletrônica, eles são compositores e produtores.

Além de se apresentar, passam horas e horas em seus estúdios criando, pesquisando, pensando, compondo, testando sons e trocando informações em uma constante busca pelas batidas e timbres que representem o que está passando em suas mentes. Fora este trabalho, também existe a dedicação no agenciamento para fazer com que este trabalho chegue às mais diversas regiões do Brasil e novas apresentações sejam fechadas.

elemental live

O barretense Luiz Luz começou na música bem cedo como vocalista e baterista em bandas de rock e metal. Por meados de 2005, começou a se interessar pelo universo da música eletrônica ao começar a frequentar raves e outras festas. Sua inspiração sempre veio da curiosidade: “quando adolescente ia às boates e sempre ficava imaginando como eram feitas as músicas eletrônicas. Sempre fui curioso a respeito. Achava mágico como pode ser criado um som do nada e ficava pensando em como alteraria determinada música”, revela Luiz Luz.

Embora seu primeiro trabalho como DJ tenha ocorrido em 2007, foi no ano de 2009 que ele passou a produzir suas próprias músicas e adotar o nome Elemental. Trilhando pelos caminhos do progressive psytrance, seu som apresenta diversas texturas e momentos psicodélicos, mas que sempre trilham por um lado mais harmônico. Luiz carrega em suas faixas um olhar mais crítico da sociedade ou propõe temas de discussão específicos, como o sexo e estados mentais.  Sua última faixa lançada em junho deste ano, por exemplo, a “#vemprarua”, usa trechos de reportagens e traz na voz do próprio Luiz, o tema das manifestações e a necessidade urgente de mudança da sociedade.

Justamente por sua influência do passado em bandas, Luiz tem como diferencial a inserção de seus vocais nas faixas que produz e o uso de guitarras tocadas ao vivo em suas apresentações. Além de já ter se apresentado muito no estado de São Paulo, a partir de 2012 conquistou todas as regiões brasileiras com vários shows no nordeste, estados de Pernambuco e Paraíba que lhe renderam visibilidade para tocar também em Rondônia, Mato Grosso, Goiás, Paraná e Santa Catarina.  Essa visibilidade também o levou a conseguir um agenciamento pela agência do sulista Wicked Bookings.

Com apenas 19 anos, o jovem Ronaldo Galdino, tem uma carreira promissora. Utilizando como base para seu trabalho o gênero minimal, FlexB já assinou faixas por mais de oito selos brasileiros, já colocou diversas faixas entre as 100 mais baixadas (Downloads) do mundo em sites especializados em música eletrônica, como o Beatport e DjTunes e fundou seu próprio selo, a “Digiment Records” com o objetivo de encontro e divulgar novos talentos e também é agenciado pela 8Beats.

Sua carreira precoce tem explicação: “desde a infância, sempre fui apaixonado por musica eletrônica e na minha adolescência comecei a conhecer melhor uma diversidade enorme de gêneros da eletrônica. Estudei para DJ, e depois de um tempo comecei a produzir, primeiro pela curiosidade e depois pra tentar se destacar de alguma forma no mercado”, revela FlexB.

Embora o som de FlexB  tenha um lado intimista e minimalista (o que caracteriza o gênero principal de sua criação, o minimal),  suas performances são altamente enérgicas e com muita interatividade com o público. Com um ritmo vigoroso de produção de remixes e novas faixas, Ronaldo também aventura-se em outros gêneros como o techno e o deep house, abrindo ainda mais portas para o público conhecer seu trabalho. Em cidades sulistas com Joinville (SC), Araucária (SC), Maringá (PR) e Curitiba (PR), FlexB é figura conhecida, tocando em clubs conceituados quase todo mês. Recentemente, o artista também fez a sua estréia em Salvador (BA).

flexb2

Cassino Queen + FlexB – Shows SEDA Barretos 2013

Image

SEDA – Semana do Audiovisual Barretos 2013 não podia deixar de ter um show! Vindo diretamente de Frutal (MG) e depois de um show arrasador no Grito Rock Guaíra, o duo vem mostrar seu electro rock pulsante na cidade de Barretos. Além de um sólido trabalho autoral, a banda faz versões pesadas e pessoais de clássicos dos Beatles, Gorillaz, The Kills e The Hives. Na sequência, o produtor e dj barretense FlexB, vai mostrar seu reconhecido trabalho calçado no minimal e no techno. Um dos artistas locais que mais tocam fora do estado e um grande sucesso nas paradas minimal do principal site de música eletrônica mundial: o Beatport! Embalando a noite também, temos a discotecagem do Dj Zero. Você não vai perder essa, né? Corra e cadastre-se na lista amiga para ter desconto e confirme presença no evento:

Lista amiga: http://is.gd/YknlYI
Evento: http://is.gd/fVaChM

Aberta as inscrições para os cursos de formação livre SEDA Barretos 2013

Image

Seguindo a mesma proposta do ano passado, a SEDA Barretos 2013 vem agora com nada menos do que 05 atividades de formação-livre para poder rechear a semana do audiovisual na cidade. São atividades que envolvem música, fotografia, cinema e televisão! Confira a lista abaixo e garanta sua vaga: 

Dia 29.06 – 10 horas –Secretaria de Cultura
Oficina Fotografia no Cinema – Isaac Pipano (UFF – RJ)
(20 vagas com inscrição)
Inscrição: https://docs.google.com/forms/d/1Ldx-rhQZ0jgWYBzdIqvhi5TXj_aAYF6qBMhw7yb_dYs/viewform

Dia 30.06 – 16 horas – Sede Gema Genérica
Oficina de construção de instrumentos musicais com materiais recicláveis e percussão corporal
Paula Nogueira – Percussionista (CRAAS Barretos)
Oficina aberta dentro do Sarau Hip Hop! 

Dia 01.07 – 19 horas – Sede Gema Genérica

Workshop Produção e Divulgação de Música Eletrônica – FlexB – Ronaldo Galdino (Produtor e Dj) (30 vagas com inscrição)
Inscrição: https://docs.google.com/forms/d/1qlD0ovRCtPdzNyABElWaerl9LOH2VKprQ1iKa9plfzE/viewform

Dia 02.07 – 19 horas – Sede Gema Genérica
Workshop sobre História do Cinema Mudo – Claudia Àvila (Atriz e produtora cultural)
(30 vagas com inscrição)
Inscrição: https://docs.google.com/forms/d/1VHlwahewYAeYlxbNqlM0eYHSibz_KIwXonBY5XWNjR4/viewform

Dia 03.07 – 19 horas – Sede Gema Genérica
Oficina sobre roteiro de TV – Milton Figueiredo (Jornalista e Produtor de Tv)
(30 vagas com inscrição)

Inscrição: https://docs.google.com/forms/d/1W_mD_PUNenxTGzvgIJtm_0ViSi3lkhQf8u1NH-6ebOE/viewform

 

 

SEDA BARRETOS 2013 – Confira a programação deste ano!

Image

É com grande satisfação que anunciamos a segunda edição da Semana do Audiovisual de Barretos ! Este ano o grande destaque fica para as atividades de formação livre: serão nada menos do que 5 atividades de oficinas, workshop e palestras! Imperdível! Além disso , a semana está recheada de grandes filmes e novidades do cinema contemporâneo brasileiro. As atividades irão ocorrer em quase toda a cidade: exibições em praças, centros comunitários, Secretaria de Cultura, Cine Barretos e na sede do Coletivo Gema Genérica! Confira a programação:

26/06 Quarta-feira – Gratuito

Local: Coletivo Gema Genérica – 19 horas

Filmes

Curta: “Pipa” Direção: Leo Belo
Conversa com o produtor João Batista Schnorr

Curta: “Inspire-Me” Direção: Carol Bordalho e Bia Ferracini
Conversa sobre a produção do curta com a atriz Ana Carol Castilho

Média-metragem: “Tres” – Direção: Andres Testagrossa

27/06 Quinta-Feira – Gratuito 
Secretaria de Cultura (15 x 18)– 19 horas

Filmes
Longa: “Praça Saens Pena” – Direção: Vinícius Reis
Média: “Pinheirinho” – Direção: Carlos Pronzato

28/06 Sexta-feira – 


Show no Clube Estrela – 9 de Julho 20 às 00 horas
Ingressos: 7 reais na lista amiga e 10 reais na hora.

• Dj Zero
• Cassino Queen – Eletro Rock-Noise (Frutal – MG)
• Flex B – Minimal-Techno (Barretos – SP)

29/06 Sábado – Gratuito 

Secretaria de Cultura – Gratuito 

Oficina Fotografia no Cinema – Isaac Pipano ( 20 vagas)
Sábado – Das 10 às 13 horas e das 14 às 18 horas

Domingo – Dia 30 – Atividade prática no Coletivo Gema Genérica a partir das 15 horas
A oficina ministrada irá abordar como trabalhar aspectos da fotografia no cinema: história, estética, movimentação de câmera, construção de imagens em narrativas e aspectos técnicos e operacionais da câmera.

Centro Comunitário – Aruanda Brasil

15 horas

Filmes: Carne e Osso Direção: Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros

16 horas e 30

Filmes:
• “Cidade Improvisada” – Direção: Alice Riff
• “Favela On The Blast” – Direção Leandro HBL

Secretaria de Cultura 

Filmes
Curta Metragem – “Formigas” Direção: Caroline Okoshi Fioratti.
Longa – “Feliz Natal” Direção: Selton Mello

Domingo – Dia 30 – Gratuito 
Sarau Hip Hop

Música:
Apresentação Grupo de Rap: Insenso
Projeto Aruanda: Dj Adriano e Convidados

Oficina
Paula Nogueira – Percussionista
Oficina de construção de instrumentos musicais com materiais recicláveis.

Literatura:
Debate sobre literatura: Produção Independente de Literatura

Filmes
• Curta-metragem: Cidade Improvisada – Direção: Alice Riff
• Longa: Favela On The Blast Direção Leandro HBL

Longa: Helena – o Filme Direção: Petra Costa

Culinária: Galinhada do Osmildo

+ As inscrições e mais informações serão divulgadas no sábado( dia 15 de junho)!

01.07 Segunda-Feira – Gratuito 

Coletivo Gema Genérica – 19 horas as 22 horas
Workshop Produção de Música Eletrônica – FlexB – Ronaldo Galdino (30 vagas)
Conhecido como Flex B, o DJ e produtor, Ronaldo Galdino, ministrará palestra sobre o processo criativo na composição de música eletrônica, mixagem, agenciamento de carreira e produção.

02.07 Terça-Feira – Gratuito 

Coletivo Gema Genérica – 19 às 22 horas
História do Cinema Mudo – Claudia Àvila (30 vagas)
A palestra sobre a transição do cinema mudo para o cinema falado. O workshop irá abordar as diferentes mudanças na narrativa, novas percepções, trabalho com a câmera e modo de atuação dos atores.

03.07 Quarta-Feira – Gratuito 

Coletivo Gema Genérica – 19 às 22 horas
Oficina sobre roteiro de TV – Milton Figueiredo (30 vagas)
A oficina mostrará as bases práticas e teóricas para fazer um roteiro de televisão: desde a pesquisa de temas, estruturação de produção e o texto televisivo.

Do sentido ao sentimento

Image

Exposição do artista plástico barretense surpreende visitantes com suas obras ao transitar entre a experimentação e tom confessional

As cores marcantes, colagens e cenários oníricos preencherão o corredor do North Shopping Barretos durante todo o mês de janeiro com a exposição do artista plástico, Luciano Junqueira Nogueira.  Até o dia 31 de janeiro, a mostra estará aberta para o público conferir as diversas fases deste artista multifacetado que usa a experiência como alicerce central de sua obra.

Image

Pintando desde 1986, o artista plástico nascido em Barretos, sempre chamou atenção pela produção volumosa: aos 12 anos já tinha 30 telas pintadas. Com a orientação do artista local Hildebrando de Souza, Luciano foi adquirindo conhecimentos sobre a história da arte e foi, gradualmente, adentrando em caminhamos mais ousados. Com o tempo, além das temáticas se tornarem mais subjetivas, os materiais também mudaram: Luciano passou a pintar com sabonete, carvão, pasta de dente e utilizar papéis velhos e lixo como colagem. “O processo é a experiência. Eu procuro utilizar uma determinada técnica combinada com determinado tema. Mas dentro deste laboratório também existe muito de mim. Há obras em que começo a combinar técnicas com determinado material e, de repente, surge uma informação pessoal que altera o suposto caminho inicial”, revela o artista plástico.

Image

O diálogo entre as suas próprias obras e suas auto-releituras , também são fatores bem singulares nas obras de Luciano Junqueira.  Em duas obras suas, que são geralmente expostas lado a lado, temos os mesmos elementos dispostos ( um homem admirando uma mulher dormindo) em quadros diferentes , compostos com técnicas e estéticas completamente diversos. Na tela “Cabeça de Cavalo”, ele faz novas versões de antigos quadros que pintou no começo da carreira, com novas cores e outros padrões de pintura.

Nos mais de 20 quadros expostos no North Shopping há até obras inacabadas, q para que os visitantes possam entender um pouco sobre o processo criativo do artista. Para o Luciano, “é interessante ver que as obras que estão inacabadas ou mesmo as que estão terminadas, mas saem um pouco de temáticas comuns, criam uma reação no público: eles param, discutem e querem saber o que é o quadro. Assim cria-se um diálogo entre pessoas e entre a obra. A obra nunca esta acabada: quem termina a obra é o público”.

 Image