SEDA 2012 marca um novo momento para o cenário audiovisual de Barretos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Realizado entre os dias 11 e 14 de julho, a Semana do Audiovisual Barretos 2012 contou com workshop, mostra de filmes, debate e um show de encerramento. Com o público estimado de 500 pessoas nos quatro dias dos eventos, as ações demonstraram uma nova perspectiva para a produção audiovisual de Barretos. O Workshop ministrado por Isaac Pipano no SENAC Barretos durante os dias 12, 13 e 14 de julho foi planejado, inicialmente, para resultar em um curta. No entanto,  a adesão dos participantes foi tão grande que formaram-se três grupos  de trabalho e depois de dois dias de conceitos e idéias práticas e teóricas, no dia final da oficina, foram realizadas  filmagens de três curtas na região central de Barretos, utilizando-se a Praça da Matriz, o Mercado Municipal e os arredores, como cenários.

Uma das provas de sucesso é justamente a abrangência que o Workshop teve ao alcançar pessoas que não são da área artística ou de produção audiovisual. É o caso da estudante de engenharia ambiental e civil, Maíra Barbosa, que procurou o curso para  desfocar um pouco da sua área. “Queria  buscar conhecimento, não só teórico, mas de vivência em um ‘mundo’ em que normalmente eu não teria.”, revela a futura engenheira. Com suas inscrições esgotadas, o curso gerou a aproximação de pessoas que nutrem gosto pela sétima arte ou tem o intuito de conhecê-la melhor. Para o coordenador do workshop,  Isaac Pipano,  “a realização da oficina de curta-metragem na SEDA foi fundamental no sentido de apresentar propostas de produção e incentivo ao audiovisual de forma independente. Além disso, tendo Barretos como cenário, possibilitou que os participantes pudessem propor modos diferentes de observar a cidade e percebê-la através de imagens”. Nesta percepção nova com a cidade e com o cinema, a SEDA Barretos pretende expandir-se para um ciclo constante de exibição de filmes e um grupo de discussão constante para trazer e se fazer cinema na cidade de Barretos.

A mostra no Cine Barretos também trilhou o seu caminho ao discutir sua relação entre o público, as imagens e como criar-se cinema em tempos que muitos podem ser realizadores.  Entre a abertura de “Pacific” do Marcelo Pedroso e encerramento com o emocionante ” As Canções” do renomado  Eduardo Coutinho, as sessões foram preenchidas mais de questionamentos que afirmações. Mas é desse cinema intrigante, confrontante e inovador que a SEDA pretende tirar o seu substrato para realizar as próximas edições. Devido a acessibilidade dos diretores e distribuidores em realização a difusão das obras, a idéia é manter a realização de duas semanas audiovisuais anuais, propiciando assim, a exibição de vários filmes, debate entre realizadores, estudiosos e participação massiva do público. Para encerrar o evento, a banda Tigre Dente de Sabre realizou seu show performático e dançante no espaço In Lounge. Como caraterística da apresentação da banda, o duo experimental realiza projeções fílmicas em cima dos músicos  Marcos Till e GuilhermeCalzavara e de uma tela posicionado atrás dos instrumentos, fazendo assim, uma apresentação rica para os olhos.  O SEDA Barretos 2012 foi a afirmação clara que há espaço na cidade para sétima arte e que seu público está interessado não somente na exibição das obras, mas em estar do outro lado das telas.

Confira abaixo os três curtas realizados no SEDA Barretos 2012:

Anúncios

A SEDA vai começar!

O Coletivo Gema Genérica traz de 11 a 14 de julho filmes premiados e propõe uma discussão sobre esta arte, que por muitos é considerada a arte do século XX.
Além disso, um workshop será realizado de 12 a 14 de julho com o mestre em cinema Isaac Pipano e terá como mote a produção de curta metragens. As vagas são gratuitas bem como todas as sessões no Cine Barretos.
Pra fechar o evento a banda que surpreendeu no Grito Rock, Tigre dente de Sabre irá tocar no espaço InLounge no dia 14 de julho. Não dá pra perder uma mostra destas galera!

Veja tudo no site do evento:www.gemagenerica.wix.com/seda

1o. Sarau Literário – Inauguração da sede do Gema Genérica

Núcleo colaborativo de criação e atividades culturais de Barretos abre seu espaço físico para estimular trocas de informações, ideias e atividades
No dia 30 de junho, sábado, a partir das 15 horas, o Coletivo Gema Genérica inicia uma nova fase. Para a inauguração do espaço físico da sede será realizado um evento para aproximar os cidadãos barretenses das iniciativas realizadas pelo grupo. Neste dia ocorrerá exposições fotográficas, exposição de pinturas, atrações musicais, sarau literário, exibição de curta-metragens. Além disso, o coletivo inaugura seu sebo e espaço para bookcrossing com o projeto Macaco Sabido.
A conquista de um espaço físico era necessária para poder dar continuidade e facilitar a gestão dos eventos culturais colaborativos que o grupo realiza. Mas além de facilitar a logística, o espaço pretende ser um organismo sustentável – um espaço aberto ao debate, receptivo a todos que tiverem ideias, projetos, iniciativas, produções culturais ou quiserem participar e-ou colaborar com o circuito cultural de alguma forma.

Revista Noize #52

A Noize, revista parceira do Fora do Eixo, está com sua edição de Abril no ar, já viram?

Raul Seixas, Nada Surf, The Naked And Famous, João Brasil, The Shins, Dave Grohl, Titãs, SXSW, Howler, Killer on the Dancefloor e muito mais. Saca só abaixo:

Oficina sobre encadernação artesanal inspira jovens no Senac

Aconteceu no último dia 10 uma oficina explanatória de encadernação artesanal com o parceiro do coletivo GG no Senac Barretos como parte da semana em que ocorre a Feira de troca de livros na unidade sob responsabilidade do grande Marcelo “Macaco Sabido” de Oliveira.

Com público de jovens entre 15 e 18 anos a oficina mostrou pela primeira vez a muitos destes jovens uma arte enriquecedora e extremamente criativa. O artesão convidado, Ernesto Kramer resumiu bem a sensação do momento: “Tive contato pela primeira vez com a arte da encadernação com a idade destes jovens. Nunca sabemos o que pode nos influenciar por toda a vida. Além disso, a sensação de participar de todo o processo de criação de um livro e vê-lo em suas mãos ao final, é incrivelmente recompensador”.

Além disso, a iniciativa de incentivo a leitura, o Bookcrossing Macaco Sabido está presente também no Senac Barretos.

Ajude a mostrar como foi o Grito

Realizado a cerca de 15 dias, o Grito Rock foi um evento muito importante para o coletivo Gema Genérica. Se você foi a um dos 3 dias de evento, contamos com sua opinião para ajudar o coletivo e o circuito Fora do Eixo a melhorar este e outros eventos que vem por aí. Para isso, basta preencher o formulário abaixo e fique a vontade para meter bronca se pisamos na bola com algo ou elogiar se fizemos algo que deve ser repetido.
Fique a vontade para compartilhar com outros amigos que também foram ao festival para que tenhamos opiniões relevantes para o evento.

Image

Grito Rock Barretos 2012 termina em clima de festa

Festival inédito na cidade trouxe bandas de várias regiões do país para a cidade 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Durante os dias 09, 10 e 11 a Praça da Estação de Barretos (SP) foi tomada pelo som de guitarras, baterias, baixo e sintetizadores. Com um público estimado de 800 pessoas nos três dias de festival, o Grito Rock Barretos 2012 trouxe um novo conceito de evento para cidade, baseado no colaborativismo das bandas e na premissa de revelar trabalhos autorais. As 270 bandas inscritas passaram por um processo seletivo feito pela curadoria de música do Coletivo Cultural Gema Genérica através da plataforma Toque no Brasil – pois era obrigatório que todas as bandas tivessem composições autorais.

No primeiro dia do evento, sexta-feira (09/03), ocorreu um debate sobre “Novos Paradigmas das Políticas para Cultura” envolvendo produtores de cultura locais como José Geraldo Resende (Presidente do Conselho de Cultura de Barretos), Daniel Tercino (Membro da AGCIP, Associação Gestão Cultural do Interior Paulista), Gustavo Padovani (Membro do Coletivo Gema Genérica), Adonias Garcia (Diretor da Companhia Rio Circular de Artes Cênicas) e um dos integrantes da rede de cultura livre Fora do Eixo, Felipe Altenfelder. Além dos temas em questão, foram debatidos os novos posicionamentos dos artistas perante a queda do mercado fonográfico e o aumento de festivais com música autoral. Ao final do primeiro dia, ainda ocorreu a apresentação do projeto experimental do Fungozenvertigem com algumas projeções interativas na escadaria da Estação Cultura de Barretos e deu-se início a ExpoGrito, uma exposição de trabalhos de artes visuais de vários integrantes da comunidade barretense coordenada pelo artista plástico Luciano Junqueira.

No sábado (10/03), o evento teve abertura com a presença da cultura hip hop barretense, em que se apresentaram os rappers locais MA Coelho, o grupo Revolução e Poesia, dança de break e artistas realizando arte em grafitti em um velho vagão da Estação Cultura. O início dos shows foi realizado pelas apresentações do Huis Clo (garage rock) e o Radiação X (hardcore). Na seqüência, as bandas paulistanas Pornô Massacre (Punk 77) e Madgator (Heavy Metal), p duo eletrônico Blue Butterfly de Brasília e o encerramento ocorreu com a banda Topsyturvy (Stoner/Post-Hardcore), de Mogi das Cruzes.

O destaque da noite ficou por conta do Blue Butterfly, o único artista eletrônico do dia no meio de tantas bandas de rock. Com uma apresentação enérgica que manteve o público dançando até mesmo debaixo de chuva, o vocalista do projeto, Marcos Coelho, declarou no palco emocionado: “Vocês são muito carinhosos e não tem ideia o quanto esse show está sendo importante para nós.”

No último dia do festival, domingo (11/03), o Grito Rock Barretos 2012 iniciou-se com a apresentação do grupo teatral Companhia Rio Circular de Artes Cênicas com a peça “Cenas Abertas” e um debate sobre o número encenado. As apresentações das bandas locais de indie rock Desbotados e o hardcore do Caborja, além dos paulistanos metal extremo do Against Tolerance e do hard rock/heavy metal em português do Carro Bomba constituíram a programação. Em clima de festa para encerrar o festival, a performática dupla Tigre Dente de Sabre, recém-chegada de Portugal em turnê com o grupo teatral paulistano Oficina, comandou o show de encerramento. O som experimental e dançante da dupla manteve a platéia de pé até as 1:15 da segunda-feira e recebeu muitos aplausos.

Segundo Fábio Ghedini de Martini, um dos organizadores do Coletivo Cultural Gema Genérica: “O Grito Rock Barretos 2012 foi o exemplo de integração entre artistas, público e produtores que queríamos que houvesse. Muitas pessoas de fora da produção estavam inspiradas pela proposta e queriam auxiliar, mostrar que juntos conseguiríamos fazer um evento maravilhoso – e, de fato, foi. A medida do sucesso estava estampada no rosto dos artistas que se sucediam no palco pulsando a vontade de criar e na felicidade da platéia barretense, que permaneceu fiel nos shows até debaixo da chuva de sábado. O evento, de certa forma, inspira os barretenses a se expressarem e teve uma riqueza de encher os olhos – de lágrimas.”